A Fundação Brasil + Social, por meio do Projeto DRIBLANDO O CÂNCER, alerta nesta data, todos os brasileiros a se conectarem à luta contra o câncer.

Prevenção e diagnóstico precoce podem salvar muitas vidas !

O Projeto Driblando o Câncer também alerta as autoridades para a necessidade de priorização do câncer nas políticas públicas. Se nada for feito, essa terrível doença será a primeira causa de morte no Brasil e no mundo até 2030, superando as doenças cardiovasculares.

O que fazer para prevenir?

Pesquisas científicas provam que o câncer pode ser prevenido, pois depende de se adotar hábitos saudáveis de vida desde a infância.

Anote:

Alimentação saudável com enfoque em frutas e vegetais e alimentos integrais, com pouca carne vermelha e diminuição de alimentos industrializados

Atividade física diária (30 minutos de caminhada no mínimo ou prática de esportes) ativam o sistema imunológico

Evite fumar e beber. O cigarro é o carcinogênico número hum !

Poluição ambiental, agrotóxicos, produtos químicos, entre outros fatores, podem causar alteração celular e provocar o câncer

O diagnóstico precoce salva

Ser diagnosticado com câncer não significa hoje em dia estar condenado à morte. O câncer tem cura ou pode ser controlado em 90% dos casos desde que o diagnóstico seja feito em estágio inicial da doença.

Ao menor sinal em seu corpo como manchas e verrugas, tumores e feridas, ínguas e dores, procure um médico. Não negligencie os sinais de seu corpo.

Mulheres devem fazer periodicamente Mamografia e Papanicolau e homens exames de próstata regulares.

Estatísticas do câncer

  • O câncer vitima 600 mil brasileiros por ano segundo o Instituto Nacional do Câncer;
  • É a principal causa de morte em 10% dos municípios brasileiros, superando as doenças cardiovasculares, atualmente líderes em mortalidade;
  • Pode se tornar a primeira causa de morte até 2030 se nada for feito;
  • A morte por câncer cresceu 90% em 20 anos enquanto a mortalidade por doenças  cardiovasculares evoluiu 36%;
  • No Brasil, 60% dos pacientes que chegam ao SUS para se tratar de um câncer, chegam nos estágios 3 e 4 (estágios finais da doença) com poucas chances de cura;
  • O diagnóstico tardio incide na economia de forma drástica, retirando milhares de pessoas produtivas do mercado de trabalho e gerando custos milionários para o SUS e para a Previdência Social;
  • Em 2016, o Ministério da Saúde informou que gastou R$ 3,3 bilhões em tratamento para o câncer;
  • Uma mulher leva 11 meses em São Paulo para conseguir realizar biópsia de mama pelo SUS;
  • No mundo, segundo a OMS, o câncer é a segunda principal causa de morte, respondendo por 9,6 milhões de mortes em 2018, sendo que 70% das mortes por câncer ocorrem em países de baixa e média rendas;
  • Cerca de um terço das mortes por câncer se devem aos 5 principais riscos comportamentais e alimentares: alto índice de massa corporal, baixo consumo de frutas e vegetais sedentarismo e uso de álcool e tabaco e agrotóxicos.