Fique por dentro das novidades

Doenças crônicas e incuráveis estão no foco da Campanha Fevereiro Roxo

A Campanha Fevereiro Roxo alerta para o controle do Alzheimer, lúpus e fibromialgia. Apesar de diferentes, essas doenças apresentam dois pontos em comum: são crônicas e incuráveis. Elas, porém, têm tratamento e podem ser controladas. O Instituto Brasil + Social apoia o Fevereiro Roxo e o divulga por saber que boa parte da população desconhece os sintomas e as consequências graves dessas doenças na rotina dos que são por elas acometidos.

Para garantir melhor qualidade de vida, controlar ou retardar os sintomas mais graves, o diagnóstico precoce do Alzheimer, do lúpus e da fibromialgia é fundamental. Abaixo, algumas características dessas doenças:

Alzheimer

Doença neurodegenerativa mais frequente em idosos e com evolução gradativa, causando prejuízos ao cérebro, restrições cognitivas, perda de memória e até demência. Três são as fases da doença: leve, moderada e grave. O comprometimento funcional é o que determina em qual delas o paciente está. Os medicamentos e as estratégias de controle podem melhorar temporariamente os sintomas e a cognição. Perda de memória e confusão são os principais sintomas. No mundo, estima-se que haja cerca de 35,5 milhões de pessoas com a Doença de Alzheimer. No Brasil, há cerca de 1,2 milhão de casos, a maior parte deles ainda sem diagnóstico.

Fibromialgia

Doença reumatológica que atinge cerca de 3% da população brasileira, especialmente as mulheres, conforme dados da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR). A principal característica é o aparecimento de dor muscular crônica e generalizada, acompanhada de sintomas como fadiga, alterações de sono, memória e humor.

Lúpus

Doença inflamatória autoimune que afeta a pele, as articulações, os rins e o cérebro. Ela ocorre quando o próprio sistema imunológico ataca tecidos saudáveis do corpo por engano. Pode levar à morte, se não for tratada adequadamente, segundo a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Por isso, a importância do diagnóstico precoce e tratamento adequado, que pode diminuir os riscos, aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida.

Previna-se, faça os exames de rotina e procure sempre orientação médica.

Veja mais

Relação entre açúcar e câncer: é verdade que o açúcar alimenta o câncer?

Apesar dos carboidratos serem fonte de energia para as células de nosso corpo, sejam elas mutadas ou não, o consumo desses açúcares não promovem uma piora clínica da doença por si só.</

O consumo normal de açúcar não acelera a resposta da doença nem sua eliminação da dieta promove cura.

Os carboidratos são nutrientes importantes  que devem ser inclusos numa dieta balanceada junto a hábitos saudáveis e dependendo do grau e avanço da doença, as nossas necessidades energéticas são maiores e uma restrição de carboidratos no geral pode ser prejudicial ao tratamento devido ao maior risco de desnutrição.

Leia mais »

O que é saúde?

A saúde é multifatorial e mutável, ao longo da vida teremos momentos de maior bem estar e plena utilização das nossas faculdades físicas e mentais, momentos de adoecimentos e maiores limitações, independente do diagnóstico de doença que possamos receber ou da idade que temos.

Para ampliar essa visão trouxemos algumas informações baseadas nas recomendações e estudos da OMS e do Ministério da Saúde para você fazer a sua vida mais saudável

Leia mais »

Campanha Março Azul alerta para o câncer colorretal

O câncer colorretal é o segundo que mais mata no Brasil, atingindo mais de 40 mil pessoas por ano. Atualmente, a chance de uma pessoa desenvolver a doença é da ordem de 4,3%: sua incidência é mais comum entre homens e mulheres com mais de 45 anos ou em pessoas que tenham casos na família.

Leia mais »