Fique por dentro das novidades

Novembro Azul: Mês de Prevenção ao Câncer de Próstata.

Novembro Azul: Mês de Prevenção ao Câncer de Próstata.

Culturalmente, os homens tendem a não levar o autocuidado tão a sério e apresentarem grande desinteresse em acompanhamento médico para a prevenção de doenças. Contudo, com o avanço das formas de comunicação e disseminação de informações, campanhas em mídias sociais foram criadas com o intuito da diminuição e conscientização de casos de doenças no Brasil, como o câncer de próstata.

Antes de tudo, você sabe o que é próstata? Localizada abaixo da bexiga, ela é uma pequena glândula que tem como função colaborar para a produção de esperma, possuindo cerca de 20cm e assemelhando-se com uma castanha. No Brasil, o câncer de próstata é o segundo com mais incidências de mortes, ficando atrás apenas do câncer de pele.

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), estimam-se 65.840 novos casos de câncer de próstata em 2020, sendo uma doença fatal para 15.576 homens, o que representa 42 homens morrendo por dia em decorrência da doença e aproximadamente 3 milhões convivendo com ela. Em outra pesquisa também realizada pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca), elaborada no ano de 2021, mostra que 29% da população masculina já foi diagnosticada com a doença, o que reforça a importância das ações de prevenção e de diagnóstico precoce no combate a essa neoplasia maligna.

Dessa forma, no dia 17 de novembro comemora-se o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata. O movimento se iniciou em 2003, na Austrália, tendo como principal objetivo a prevenção e diagnóstico precoce de doenças que atingem a população masculina, objetivando também a necessidade de cuidar do seu corpo e também da mente.

Sintomas do câncer de próstata.

Primeiramente, o câncer de próstata ocorre de forma assintomática, e quando alguns sinais começam a aparecer, cerca de 95% dos tumores já estão em fase avançada, dificultando a cura. Os sintomas do câncer de próstata avançado são:

  • Necessidade de urinar com mais frequência que o normal.
  • Necessidade de urinar com mais frequência à noite (nictúria).
  • Fluxo urinário fraco ou interrompido.
  • Sangue na urina ou no sêmen.
  • Disfunção erétil.
  • Dor no quadril, costas, coxas, ombros ou outros ossos se a doença se disseminou.
  • Fraqueza ou dormência nas pernas ou pés.

Além disso, existem alguns fatores que podem aumentar as chances de um homem desenvolver câncer de próstata. São eles:

  • Idade: o risco aumenta com o avançar da idade. No Brasil, a cada dez homens diagnosticados com câncer de próstata, nove têm mais de 55 anos.
  • Histórico de câncer na família: homens cujo pai, avô ou irmão tiveram câncer de próstata antes dos 60 anos, fazem parte do grupo de risco.
  • Sobrepeso e obesidade: estudos recentes mostram maior risco de câncer de próstata em homens com peso corporal mais elevado.

Como prevenir o câncer de próstata?

Já está comprovado que uma alimentação rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura, principalmente as de origem animal, ajudam a diminuir o risco de câncer, assim como de outras doenças crônicas não-transmissíveis.

Portanto, entre os fatores que mais ajudam a prevenir o câncer de próstata estão:

  • Ter uma alimentação saudável.
  • Praticar atividade física.
  • Manter o peso corporal adequado.
  • Não fumar.
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas.

Quais exames são realizados para investigar o câncer de próstata?

Contudo, para investigar os sinais e sintomas de um câncer de próstata e descobrir se a doença está presente ou não, são feitos basicamente dois exames iniciais.

●     Exame de sangue (PSA)

Primeiramente, o PSA é um hormônio e o resultado normal desse exame deve apontar valores menores do que 4 ng/mL. Sendo assim, quando este valor está acima do normal, pode ser que exista inflamação da próstata ou até câncer.

●     Exame de toque retal

Logo depois, o médico verificará o tamanho da próstata através do toque. Dessa forma, o médico avalia tamanho, forma e textura da próstata, introduzindo o dedo protegido por uma luva lubrificada no reto. Em caso de inflamação, ela pode ficar maior e mais dura. É um procedimento que demora cerca de um minuto e causa apenas um leve desconforto.

Existe tratamento?

O sucesso do tratamento para o câncer de próstata depende do diagnóstico precoce – por isso, é tão importante consultar o médico regularmente e fazer os exames de rotina conforme solicitado. Os tipos de tratamento variam de acordo com alguns fatores, como a idade e saúde geral do paciente, se ele deseja ter filhos ou não, estágio do tumor, tamanho da próstata, entre outros. Eles podem ser:

  • Observação: acompanhamento rigoroso do avanço da doença por meio de consultas regulares ao médico, que iniciará o tratamento apenas quando a doença se tornar mais agressiva. Porém, essa abordagem é indicada em casos de tumores pouco agressivos, com desenvolvimento lento.
  • Cirurgia: é indicada para retirar tumores que se localizam dentro da glândula da próstata, oferecendo mais chances de cura. Além disso, a abordagem pode ser minimamente invasiva, por meio da cirurgia robótica, que garante mais precisão ao médico e recuperação mais rápida ao paciente.
  • Terapia hormonal: é aplicada com o objetivo de controlar o nível dos hormônios masculinos que estimulam o desenvolvimento do câncer – a testosterona. Ela pode ser feita por meio de injeções, cirurgia ou comprimidos e é indicada para pessoas que não podem ou não desejam realizar tratamentos mais agressivos, como pacientes com metástase (cujo câncer já se espalhou por outras partes do corpo), ou em conjunto com algum outro tratamento.
  • Radioterapia: por meio de aparelhos próprios, a radioterapia usa uma radiação de alta energia para combater as células cancerígenas. Bem como, existem equipamentos de alta precisão, que permitem diminuir a quantidade necessária de sessões, evitando a exposição à radiação.
  • Quimioterapia: é indicada para homens que possuem câncer de próstata em metástase e não respondem a outros tratamentos, a quimioterapia consiste na combinação de medicamentos específicos que destroem as células cancerígenas.

Observação: A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento.

Escrito por: Joao Marcos.

Veja mais