Ampla campanha pela arrecadação de alimentos, o Projeto “Driblando a Fome”, do Instituto Brasil+Social, irá arrecadar alimentos para famílias carentes, com postos de doação instalados em igrejas, entidades sociais e comunitárias da Grande São Paulo e municípios próximos da capital.

A campanha DRIBLANDO A FOME está sendo iniciada oficialmente nas redes sociais e no canal do YouTube do Programa “Entre Craques com Gil Santos”, nesta quarta-feira, dia 27 de maio, às 18h00, quando o entrevistador recebe a ilustre participação do sanfoneiro Targino Gondim. O pré-lançamento do Projeto DRIBLANDO A FOME aconteceu na live com Cafu, quando o capitão prometeu integrar-se à campanha como padrinho.

Para Gil Santos, o objetivo do Projeto “Driblando a Fome” é doar alimentos, mas também trazer ao debate e à conscientização pública, a questão da fome. Ainda que a alimentação seja reconhecida pela Constituição Federal como um direito humano, e hoje expressa em seu artigo sexto (EC 64/2010) criando para o Estado brasileiro a obrigação de respeito, proteção, promoção e provimento de alimentação adequada para população, os números de pessoas em vulnerabilidade alimentar só crescem.

A ideia do Projeto é formar uma ampla rede nacional de solidariedade, para arrecadação de comida para os mais carentes, conectando igrejas de todas as religiões, entidades sociais e esportivas e associações comunitárias. “Começaremos pela cidade de São Paulo e municípios próximos à capital, abrangendo também o Jardim Irene, bairro onde nasceu Cafu “.

“Mas não pretendemos apenas doar. Queremos fomentar o debate sobre a problemática da fome no país, sensibilizando governos e chamando a atenção da imprensa porque não é só a pandemia que mata o povo. A fome, a desnutrição e as doenças decorrentes da fome matam tanto quanto a Covid-19 embora não constem das estatísticas oficiais”, denuncia a diretora do Instituto Brasil + Social, Niolanda Dantas. Ela pede um olhar de compaixão e de amor ao próximo a partir desse ato simples de doação. Participe!

Fome no Brasil

Estimativas da ONU indicam que das 108 milhões de pessoas que convivem diariamente com a fome no mundo, pelo menos 9 milhões estão no Brasil. Dentre elas, cerca de 7 milhões não têm sequer perspectiva de quando será sua próxima refeição, ao passo que as demais estão em lares em que para que alguns comam, outros deixarão de comer.

O relatório da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (2019) indica grandes retrocessos no país. A curva de desnutrição, há muito descendente, passou a crescer. Esse crescimento é atribuído à crise econômica, mas também à redução de políticas sociais e programas de transferência de renda.

A subnutrição aumentou, assim como a prevalência de anemia em mulheres em idade reprodutiva. Os índices de conceptos nascidos abaixo do peso se manteve em 8,4%.

Com a crise econômica gerada pela pandemia, a fome deverá crescer e atingir muito mais brasileiros nos próximos meses.

Por outro lado, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura informou em seu último relatório (2019) que a América Latina e o Caribe são responsáveis por 20% de desperdício de alimentos desde a pós-colheita até o varejo. A perda dos alimentos decorre de transporte e armazenamento, bem como processamento e embalagem inadequados. 

Serviço

Entre Craques com Gil Santos

@gilsantoscraques

Youtube.com/entrecraques (inscreva-se já)

Todas às quartas-feiras, às 18h00

@institutobrasilsocial