Fique por dentro das novidades

Campanha Dezembro Laranja: como identificar o câncer de pele?

Símbolo da campanha dezembro laranja

A campanha Dezembro Laranja foi criada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia com o objetivo de prevenir o câncer de pele, que é o tumor de maior incidência no Brasil. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), até o final de 2016, estima-se em média 181 mil novos casos. Sendo que, deste total, 5.670 mil correspondem a novos casos de melanoma.

A exposição solar excessiva, sem proteção, pode provocar alterações celulares, levando ao desenvolvimento de câncer de pele.

Os cânceres de pele podem ser divididos em melanoma e não melanoma, e os mais frequentes são o carcinoma basocelular e o carcinoma espinocelular, menos agressivos, mas que podem causar lesões funcionais e estéticas.

O carcinoma basocelular, mais frequente na população brasileira, costuma apresentar áreas com protuberância, com borda mais elevada e cor mais avermelhada, com pequenos vasos de sangue.

Já o carcinoma espinocelular, segundo mais frequente, porém, mais agressivo que o basocelular, tem como característica sinais com aparência endurecida, uma úlcera que lembra um machucado, que não cicatriza.

A busca pela conscientização tem como foco alertar para a necessidade de cuidados de prevenção permanentes, seja nos momentos de lazer (na praia, nos parques, entre outros), mas também durante a rotina diária, inclusive no dia a dia de afazeres do trabalho.

Fatores de risco:

  • História familiar de câncer de pele;
  • Pessoas de pele e olhos claros, com cabelos ruivos ou loiros;
  • Pessoas que trabalham frequentemente expostas ao sol sem proteção adequada;
  • Exposição prolongada e repetida ao sol na infância e adolescência.

Sintomas:

O câncer da pele pode se assemelhar a pintas, eczemas ou outras lesões benignas. Assim, conhecer bem a pele e saber em quais regiões existem pintas, faz toda a diferença na hora de detectar qualquer irregularidade. Somente um exame clínico feito por um médico especializado ou uma biópsia podem diagnosticar o câncer da pele. Entretanto é importante estar sempre atento aos seguintes sintomas:

  • Uma lesão na pele de aparência elevada e brilhante, translúcida, avermelhada, castanha, rósea ou multicolorida, com crosta central e que sangra facilmente;
  • Uma pinta preta ou castanha que muda sua cor, textura, torna-se irregular nas bordas e cresce de tamanho;
  • Uma mancha ou ferida que não cicatriza, que continua a crescer apresentando coceira, crostas, erosões ou sangramento.

Leia também: Dia Nacional do combate ao Câncer

Como se prevenir

Procurar evitar a exposição excessiva à radiação solar, composta pelos raios UVB (responsável pela queimadura avermelhada da pele) e UVA (ultravioleta), principalmente entre 10h e 16h, é uma das recomendações.

A radiação UVA penetra profundamente na pele e é a principal responsável pelo câncer da pele. Sua intensidade varia pouco ao longo do dia, sendo intensa não somente em dias de sol, mas também com o céu nublado, por isso é fundamental utilizar protetor solar diariamente.

Quem tem tatuagem deve redobrar os cuidados, pois as tintas escuras usadas nas imagens podem encobrir possíveis lesões precursoras do câncer de pele. O melanoma, por exemplo, possui uma alteração celular com muito pigmento, assim como as tatuagens, dificultando a análise da estrutura celular durante os exames patológicos.

Procure ficar à sombra e usar roupas com fotoproteção, óculos escuros e chapéus (especialmente em crianças e idosos). E Realizar exame dermatológico pelo menos uma vez por ano também é de forte indicação para a prevenção da doença.

Fontes:

https://www.trtes.jus.br/principal/comunicacao/noticias/conteudo/o5209-dezembro-lar anja-2022–previna-se–nao-espere-ate-sentir-na-pele

https://bvsms.saude.gov.br/dezembro-laranja-campanha-reforca-cuidados-contra-o-c ancer-de-pele/

https://www.hospitaloswaldocruz.org.br/imprensa/noticias/dezembro-laranja-mes-de- conscientizacao-sobre-o-cancer-de-pele/

Veja mais